Jornalista Giuliana Morrone aborda importância da ESG aplicada aos negócios na palestra final do XXIII Congresso da Anoreg/BR e VI Concart

Fechando o XXIII Congresso Brasileiro de Direito Notarial e Registral da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR) e a VI Conferência Nacional dos Cartórios da Confederação Nacional de Notários e Registradores (CNR), nesta sexta-feira (01/12), em Brasília, a jornalista Giuliana Morrone trouxe um importante debate sobre as megatendências que estão debatidas pela humanidade no tocante a agenda sustentabilidade.

Abordando o tema ESG, sigla que vem do inglês e significa Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança), a jornalista elencou os temas que estão dominando as discussões da sociedade, como o uso da inteligência artificial, a transparência nas relações, a reinvenção de modelos de negócios, as mudanças climáticas e o colapso ecológico.

“Quem não levar estes temas a sério, certamente sairá prejudicado e não basta ter este discurso da boca pra fora, mas ele tem que funcionar de dentro pra fora prevendo os riscos e oportunidades de suas ações”, afirmou. “O conceito de ESG tem usos diferentes, podendo ser aplicado internamente, na gestão da empresa, ou externamente, para analisá-la, não só em termos de resultados, mas principalmente em termos de ações”, disse.

Citando sua experiência recente com os serviços dos cartórios, nos quais praticou atos relacionados a inventário, abertura de empresa e atos negociais, a jornalista elogiou a preocupação da atividade com os temas climáticos e de sustentabilidade. “Percebi que já existe uma preocupação com a modernização, inovação, digitalização, transparência e modernidade”, disse a jornalista.

Segundo Giuliana Morrone, um dos conceitos que se deve aplicar diante desta nova agenda é chamado de green swan, ou cisne verde, que se trata na proposta de “buscar soluções exponencialmente positivas para problemas globais”. “Cada um, dentro do seu trabalho e área de atuação, deve buscar implantar a melhor solução positiva para o seu negócio, aplicando estes novos conceitos de integridade, transparência, equidade, responsabilização e sustentabilidade dentro do seu modelo de negócio”, disse. “Aplicar as soluções globais para o seu problema local”, concluiu a jornalista.

 

Fonte: AssCom Anoreg/BR

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

transferir (21)

Vontade de rescindir contrato de aluguel pode ser comunicada por e-mail, decide Terceira Turma

A-reforma-do-Codigo-Civil-Fim-do-regime-da-separacao-obrigatoria-de-bens (1)

Artigo – A decisão do STF sobre o regime da separação obrigatória de bens e os caminhos possíveis da reforma do CC – Por Flávio Tartuce

https__img.migalhas.com.br__SL__gf_base__SL__empresas__SL__MIGA__SL__imagens__SL__2024__SL__02__SL__27__SL__fbef6bea-5465-4bab-919f-ce16d00e1e9d.jpg._PROC_CP65

Imóvel de esposa de devedor com separação de bens não entra em penhora

Rolar para cima
Pular para o conteúdo