Saiba o que é pacto antenupcial; casal de BH assinou acordo que prevê multa em caso de traição

 

Além de cláusulas sobre traição, o pacto pode determinar que marido arrumará a cozinha após o jantar ou que o casal almoçará fora aos fins de semana, diz advogada.

 

Nesta semana, um casal de Belo Horizonte fez um pacto antenupcial que estabelece multa de R$ 180 mil em caso de traição.

 

Os noivos argumentaram na Justiça que a indenização é “pelo possível constrangimento e vergonha que pode passar aos olhos da sociedade”.

 

Mas você sabe o que é um contrato antenupcial? O g1 conversou com a advogada especialista em Direito de Família, Camila Dias, sobre o assunto para esclarecer algumas dúvidas.

 

O que é pacto antenupcial?

É um contrato, uma escritura pública que os noivos podem fazer – como o próprio nome diz – antes do casamento.

Nele é determinado o regime do casamento e a forma como vão administrar os bens, dentre outros assuntos.

 

Quais são as regras?

Para que o pacto antenupcial tenha efeitos, é obrigatório que seja seguido do casamento. Ou seja, se o casamento não acontecer, o pacto é nulo.

 

E para que o pacto gere efeitos perante outras pessoas (terceiros) ele deve ser averbado no cartório de registro de imóveis, mesmo se, até o momento, os noivos não tiverem adquirido móveis.

Em quais casos esse tipo de acordo é obrigatório?

 

O pacto antenupcial é obrigatório para quem escolher o regime da separação convencional de bens (mais conhecido como separação total de bens facultativa), na comunhão universal e na divisão dos bens adquiridos durante o casamento.

 

Para os regimes legais (separação obrigatória de bens e comunhão parcial de bens) o pacto não é obrigatório.

 

O que pode constar em um contrato desta espécie?

Pode constar qualquer cláusula que seja legal e que os noivos achem ser importantes. Por exemplo: você pode colocar que às segundas, quartas, e sextas-feiras, marido arrumará a cozinha após o jantar.

 

Ou, então, aos sábados e domingos, o casal vai almoçar fora.

O pacto pode prever multa por traição.

Além disso, pode prever também quantas vezes por ano o casal viajará para o exterior, sobre os pets. Enfim, todas as questões de convivência entre marido e mulher.

 

Qualquer pessoa pode fazer?

Qualquer pessoa que for se casar.

 

É necessário acionar um advogado?

 

A presença do advogado é essencial para se evitar erros, mas não é obrigatória. É essencial, porque, se houver qualquer erro no registro do pacto ou na forma, a alteração só pode ser feita mediante ação judicial.

 

O pacto antenupcial é previsto em lei?

Sim. O pacto é previsto no Código Civil.

 

Qual a validade do pacto antenupcial?

O pacto é válido enquanto durar o casamento.

 

Qual a diferença entre ele e a comunhão de bens?

Um não se confunde com o outro. O regime da comunhão de bens pode vir acompanhado do pacto.

O pacto é a escritura pública que detalha como será a comunicação de bens previsto no regime de comunhão parcial, por exemplo.

 

Quanto é necessário gastar para fazer este acordo?

 

Em cada estado é um valor.

 

O pacto antenupcial pode ser feito em caso de união estável?

Não, porque um dos requisitos principais para a validade do pacto é o casamento.

 

Porém, a união estável também é uma escritura pública e nela o casal pode incluir cláusulas que achem importantes, mas não terá nome de pacto antenupcial.

 

Fonte: G1 MG

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Encoge_TO5 (1)

93° Encoge e 5º Fórum Fundiário Nacional: ações para o aprimoramento das Corregedorias dos Tribunais de Justiça, da atividade jurisdicional e do serviço extrajudicial

27-1

Seminário promovido pelo STJ discutiu regulação, desafios e oportunidades do mercado de carbono

Certidão de Nascimento

Registre-se: no primeiro dia da ação, foram emitidas mais de 5 mil certidões

Rolar para cima
Pular para o conteúdo