Servidora trans se aposenta com base no gênero do registro civil em SC

Caso de médica da prefeitura de Itajaí pode gerar precedente para administração pública

 

O Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina publicou nesta segunda-feira (10) a aposentadoria de uma servidora da prefeitura de Itajaí, município no norte do estado, que fez a transição do gênero masculino para o feminino.

 

A servidora, uma médica da prefeitura, pediu que as regras seguissem os critérios para mulheres, cuja idade mínima para aposentadoria é de 62 anos, contra 65 no caso dos homens.

 

No ano passado, o TCE-SC já havia decidido aceitar o pedido da servidora, mas a análise técnica feita pela Diretoria de Atos de Pessoal da corte só agora foi concluída, finalizando o processo.

 

Há uma expectativa de que o caso sirva de precedente para outras decisões semelhantes relacionadas a servidores públicos pelo Brasil.

 

No ano passado, a decisão foi ironizada pelo então deputado estadual Kennedy Nunes (PTB). “Você que é homem, quer se aposentar mais cedo? Vira trans”, disse, em vídeo publicado em suas redes.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

transferir (19)

Projeto limita uso de protesto em cartório para conta de luz atrasada

Captura de tela 2024-02-27 164358

Cláusula de renúncia às benfeitorias em contrato de aluguel não se estende às acessões

04c47a5c12b27424105214db6aaf0b6a

Dia do Agronegócio: setor deve celebrar crescimento sem se esquecer dos desafios

Rolar para cima
Pular para o conteúdo